Transição de governo: o que pode acontecer caso Haddad seja confirmado como ministro da Economia?

Por: Adriana Quintairos 

Nesta semana cresceram os rumores de que o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, do PT, estaria sendo cotado para o cargo de Ministro da Economia do presidente eleito, Lula, em 2023.

Como não poderia ser diferente, o mercado financeiro se movimentou em torno dessa notícia, que até o momento é tratada apenas como especulação.

Sobre esse assunto, o investidor André Janeiro Dias comentou que não há no mercado bons olhos para essa possibilidade.

“Popularmente falando, seria um desastre. Porque o Haddad não tem uma vivência de condução econômica. Totalmente diferente do atual ministro Paulo Guedes e o também cotado Henrique Meirelles, ex-presidente do Banco Central. Seria muito ruim tanto para economia do país, como também para a própria trajetória do Lula nesse terceiro mandato de presidente”, apontou.

“Não podemos entregar um cargo tão importante a uma pessoa que não tem capacidade e até formação alguma”, emendou.

Para André, caso Haddad seja confirmado para o cargo, o mercado vai reagir mal e como um exemplo ele cita a Bolsa de Valores. “É muito sensível. Qualquer notícia deixa ela sensível. Ela caiu nos últimos dias só com essa sinalização do nome do Haddad”, mencionou.

Porém, ainda conforme André, é preciso aguardar porque tudo ainda é visto como especulação, até porque não houve manifestação oficial do governo eleito ou até mesmo da equipe de transição.

“Apesar disso, o mercado está enxergando tudo com muita preocupação, como já dito. Além da Bolsa cair, é preciso lembrar que o dólar pode disparar também”, finalizou.

Sobre André Dias

André Janeiro Dias é sócio da Holding DIAS&DIAS com projetos como Riqueza em Dias, Carol Dias, Irmãos Dias Podcast entre outras empresas ligadas ao empreendedorismo no Brasil. Investidor e criador do canal Mestre da Riqueza entre diversos outros meios de comunicação voltados ao mundo das finanças. Com experiência atuante no mercado financeiro pelo Banco Itaú por mais de 10 anos e investidor a mais de 15 anos na bolsa de valores, André também é formado em administração de empresas e MBA em controladoria, auditoria e finanças pela FGV – Fundação Getúlio Vargas. Ele defende a ideia de que investir da maneira correta traz uma consciência mais tranquila por conta dos melhores resultados.

Foto de Capa: Divulgação

Jornal do Sudoeste

Categorias ,

Deixe seu comentário