Conheça os riscos do colesterol alto e saiba como se prevenir

Por:  Suellen Martins

O nível elevado de colesterol no sangue pode ocasionar doenças cardiovasculares e aumentar as chances de infarto do miocárdio e Acidente Vascular Cerebral (AVC). Essas são as duas principais causas de morte no Brasil, segundo dados da Sociedade Brasileira do Coração (SBC). Por isso, o monitoramento é fundamental para manter uma boa saúde.

De acordo com definição do Ministério da Saúde, o colesterol é “um conjunto de gorduras necessário para o organismo exercer determinadas funções.” Dentre elas, podem ser destacadas a produção hormonal e a estruturação da parede celular e do sistema nervoso central. Desta forma, ele também desempenha um papel importante para a saúde.

No entanto, o perigo ocorre quando as taxas de colesterol estão desequilibradas. O Ministério da Saúde explica que existem dois tipos de colesterol: o HDL, considerado “bom”, e o LDL, avaliado como “ruim”. O excesso do segundo traz riscos à saúde. Isso porque o depósito desse tipo de gordura se transforma em placas, chamadas de ateromas, que podem obstruir gradualmente as artérias e desencadear complicações.

Principais complicações do LDL elevado 

A presença de ateromas causa o estreitamento do diâmetro das artérias, o que dificulta o fluxo sanguíneo. Esta complicação é denominada aterosclerose. Os sintomas são variados, pois está relacionado aos órgãos que têm mais dificuldade de receberem a irrigação do sangue. Dor no peito ou nas pernas, fadiga, cãibras e palpitações podem ser sinais desta patologia.

Por conta da diminuição do diâmetro das artérias, o fluxo sanguíneo exige maior pressão onde há presença das placas de gordura, o que ocasiona a hipertensão, popularmente chamada de “pressão alta”. Inicialmente, ela pode ser assintomática. Quando o paciente está com a pressão mais elevada, pode sentir dor de cabeça, dor no peito, tontura e zumbido no ouvido.

Quando há a obstrução das artérias coronárias, o paciente é diagnosticado com doença isquêmica arterial coronariana (DAC), que pode provocar o infarto do miocárdio. O principal sinal de alerta é a dor no peito.

Já a obstrução de vasos sanguíneos que irrigam o cérebro é uma das causas do AVC, que tem entre os principais sintomas dor de cabeça, desorientação, alteração do equilíbrio e fraqueza ou formigamento de um lado do corpo.

Como tratar colesterol alto

O tratamento e a prevenção do colesterol alto caminham juntos. As autoridades de saúde recomendam que o monitoramento e os cuidados para manter uma boa taxa do LDL sejam contínuos.

Entre as formas de assegurar o nível de colesterol adequado estão ter uma alimentação saudável e equilibrada evitando a ingestão de alimentos gordurosos; manter o controle do peso; praticar atividade física regularmente; não fumar; e realizar consultas regulares com o especialista para monitoramento.

O acompanhamento é feito de forma interdisciplinar. Para saber como está o colesterol, é possível agendar uma consulta com o clínico , que irá solicitar o exame de sangue. Em caso de alterações, ele poderá indicar o médico endocrinologista para a orientação do tratamento, que pode incluir o uso de medicação.

Já o nutricionista irá auxiliar na elaboração de uma dieta para a redução ou manutenção do nível do colesterol, podendo ser procurado tanto para o tratamento quanto por quem busca prevenir o problema.

Por fim, o médico cardiologista irá realizar a avaliação do risco cardiovascular. O especialista poderá solicitar exames mais específicos que irão mostrar os impactos do colesterol para a saúde do coração.

 

 

 

 

Foto de capa: Pixabay

Jornal do Sudoeste

Materias Recentes

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,