IRONIA

A vida sempre bela,

Fascinante e generosa

Deixa nas presas

E garras dos predadores

O sangue e migalhas de carne

Das caças (vitimas).

A vida, esse deslumbrante

Filme de horror,

Causa-me náuseas

Diante de imagens

Cruéis e creio

Desnecessárias, nas selvas,

Nos mares e praias.

Por que será

Preciso correr

Tanto sangue?

Por que e preciso

Viver uma guerra

Eterna aqui?

Que é isto afinal?

Por que tanta dor,

Tanto fazedor

De sofrimento,

Tanto promotor do caos?

Será a terra

Terra de ninguém?

Seremos todos nós

Servos do mal?

Seremos todos trevas

Em conluio com as trevas

A nos mover somente

Em direção ao precipício

Tendo por combustível

O ódio, o ódio, o ódio,

A desfaçatez,

A hipocrisia, aluxúria?

Tânia Martins

Tânia Martins

Categorias