Mineração Usiminas finaliza ciclo das barragens de rejeitos

A inauguração da planta dry stacking foi no dia 1º deste mês, junto às Minas Oeste e Central, no município de Itatiaiuçu

Por: Revista Brasil Mineral

A Mineração Usiminas, do Grupo Usiminas, não destinará mais rejeitos do processo de concentração de minério de ferro para barragens convencionais. Em comunicado nessa terça-feira (28), a controladora, a Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais (Usiminas), assegura que, no domingo (26), houve “migração definitiva para o dry stacking”. As jazidas da empresa estão no complexo da Província Minerária da Serra de Itatiaiuçu (MG).

A inauguração da planta dry stacking foi no dia 1º de dezembro, junto às Minas Oeste e Central, no município de Itatiaiuçu. O processo consiste na destinação do rejeito até a planta de filtragem. Portanto, a polpa não irá mais para barragens convencionais.

O material resultante do processo de filtragem é destinado a uma pilha de material. Depois, ao chamado “empilhamento a seco”. E, por fim, compactado. Esta última etapa, portanto, é executada em local da revegetação posterior.

O dry stacking proporciona vantagens como, por exemplo, a do retorno de parte da água ao processo de concentração. Ou seja, método recircular. Isso significa redução no volume de água empregado na concentração do minério. A empresa associa isso, portanto, aos compromissos ambientais. A controlada da Usiminas investiu R$ 235 milhões no processo dry starking.

Ainda resta uma barragem

Mas a mineradora ainda possui uma barragem no método “a jusante” integrada aos processos de extração do minério de ferro. Assegurou, no entanto, que essa unidade será “desativada ainda neste mês”.

Quanto à descaracterização das barragens no complexo na Serra de Itatiaiuçu, a Usiminas relata que foi concluída na Somisa, em 2020, e aceita pela autoridade ambiental. E que, no começo do próximo ano, iniciará na Barragem Central.

Mineração teve produção recorde

A Mineração Usiminas produziu neste ano 9 milhões de toneladas de minério de ferro. O resultado está no comunicado assinado pelo vice-presidente de Finanças e Relações com Investidores da Usiminas, Alberto Ono, assinala, portanto, que “constituiu recorde histórico”.

 

 

 

Foto de Capa: Brasil Mineral

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,