O incrível crime político de Temer contra a humanidade

Enquanto outros Presidentes da República sempre trabalharam mesmo nas condições adversas que o próprio mundo político impõe a todos pelas disputas, para atender às demandas do seu tempo, levando em consideração sempre o que fosse melhor para os brasileiros, Michel Temer como Chefe do Executivo do Estado brasileiro trabalha o tempo todo para desajustar a sociedade brasileira.

Depois de vinte anos de trabalho árduo para melhorar as condições dos mecanismos de erradicação do trabalho em condições análogas à de escravidão, Temer para atender simplesmente aos seus próprios interesses políticos, e para tanto agradar a Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), mudou as regras e o conceito de trabalho escravo no Brasil via Portaria, já que na forma de lei não consegue isso dentro do Congresso Nacional.

A Portaria apresentada em Diário Oficial por Michel Temer literalmente acaba com o conceito de trabalho escravo contemporâneo, reconhecido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) como um avanço por reconhecer a escravidão moderna. Para manter o cargo político de homem só, os interesses dos homens do agronegócio, do setor têxtil e da construção civil foram atendidos, porque eles precisam de escravos modernos para ganhar dinheiro.

A Portaria de Temer altera o artigo 149 do Código Penal, que conceitua o trabalho escravo no Brasil, não na forma politicamente correta, ouvindo a sociedade interessada e até mesmo aquele miserável Congresso Nacional formado de maioria de deputados e senadores pilantras, mas na forma mais torpe possível, ou seja, na maracutaia traiçoeira de um final de noite.

Por mais que digam que a defesa intransigente dos interesses do povo, que não quer mais viver num mundo formado por escravos, especialmente chamados modernos, seja loucura e coisa de gente de esquerda, e de defensores dos Direitos humanos (que a mídia vem deturpando consideravelmente o conceito real), não se espera a partir de uma atitude errônea de um homem que deveria zelar pela saúde da sociedade brasileira, outra coisa senão uma sociedade doente e desajustada.

A cada nova atitude de Michel Temer para manter seu cargo de Presidente a qualquer custo, não se prova outra coisa senão de que ele próprio é mais um desses doentes políticos, que acreditam que a sociedade deve ser espelho do que ele é, e todo mundo sabe como se acaba essa história. Os maiores crimes contra a honra da humanidade nasceram das cabeças doentias de políticos como Michel Temer!

Genaldo de Melo

Genaldo de Melo

Genaldo de Melo, 43 anos, sergipano radicado em Feira de Santana - Bahia. Gestor social e articulista. Desenvolve consultoria em elaboração de projetos sociais
Categorias