O Nascimento de Jesus

Autor: Euriano Sales

Dos doze meses do ano

O de dezembro é o mais bonito

Todo mundo prega a paz

Confraternizam em nome de Cristo

Mas ai daquele que não der um presente

Pode gerar até um conflito

É verdade, é assim que acontece

E por favor não me interprete mal

Pois esse mês tão lindo que eu disse

Também é o mês mais comercial

Nascimento de quem? Jesus?

Eu quero é meu presente de natal

Ninguem lembra do começo de tudo

Mas pode deixar, vou refrescar sua memória

Há muito tempo, lá em Belém

Deu início a essa bela história

Do verdadeiro dono da festa

Digno de toda honra e glória

Houve um período na história

Que Deus se calou pro seu povo

Foram cerca de 400 anos

Até surgir um profeta novo

O nome dele seria João

Responsável por esse renovo

Zacarias era um homem bem velho

E Isabel também bem veinha

Ter um minino nessa altura do campeonato

Só podia ser piada de vizinha

Mas como Deus não é homi de piada

Fez nascer justo de onde não vinha

Gabriel, o arcanjo do Senhor

Disse a Zacarias que ele ia se papai

O homi se espantou com aquilo

E achou que não, jamais

Gabriel olhou e disse pra ele:

Tu pensa que eu sou anjo paraguai?

Eu sou é servo de Deus

Que mandou esse recado trazer

Mas como você tá duvidando

Se prepare pro que eu vou fazer

Vai ficar sem falar uma ruma de dia

Até o minino nascer

E assim foi o acontecido

Isabel, bem veinha, embuchou

Zacarias continuava mudo

Mesmo assim a Deus adorou

A mulher já tava com seis meses

Quando o anjo do céu retornou

Mas dessa vez bateu noutra porta

Na de Maria, prima de Isabel

Ela era uma moça bem jovem

Abençoada por Deus, mulher fiel

Ele disse que ela ia ter um minino

Jesus, o nazareno, o Emanuel

Por ser virgem ela achou impossível

Mas não quis do senhor duvidar

Já José, seu noivo na época

O casamento ele quis cancelar

Mas o anjo explicou tudinho

E o homi se apressou pra casar

Deus quando fala, fala é direito

E toda promessa Dele é confirmada

Esse negócio que o Senhor mandou dizer

Sem confirmação é tudo furada

Tu acredita que Deus confirmou ainda mais

A promessa que já foi aprovada?

Maria foi visitar Isabel

E na chegada a cumprimentou

Isabel quando viu Maria

O minino no bucho balançou

Sabia nem que a outra tava gravida e disse:

Acredite Maria, no que anjo Falou.

Isabel teve o minino

E o povo doido pra saber o nome

Disseram pra por Zacarias Filho

Ela disse que era João e batista o sobrenome

Eles insistiram em chamar Zacarias

E o pai sem falar, escreveu sem cognome

Cognome é mesmo que apelido

Ele escreveu bem direitin o nome de João

Poderia ter escrito Joazin

Mas o anjo não tava de brincadeira não

Zacarias voltou a falar

E essa história correu a região

Naquela época também tinha IBGE

Que contava o tamanho da população

Mas se eu sou do ceará e morava em alagoas

A contagem não valia não

Tinha que voltar pra minha terrinha

E se apresentar ao escrivão

Foi numa dessa que nasceu Jesus.

José e Maria moravam em Nazaré

Foram a Belém pra tal contagem

150 kilômetros de viajem a pé

O jumentinho era só pra Maria

Coitado dos pés de José

A cidade tava lotada

Não tinha vaga em nenhum pensão

O minino se aprontou pra nascer

Maria já tava com um barrigão

Correram pra uma estrebaria

E cadê ter médico de plantão?

Jesus nasceu ali mesmo

Simples como devemos ser

Não teve médico, nem enfermeira

Mas Deus assim quis fazer

Pra servir de lição pra muitos

Que querem tanto aparecer

Deus se encarregou da Festa

Teve até chá de bebê

Fez nascer no céu uma estrela

Para que todos pudessem ver

Que ali nasceu o minino

Que por nós irá vencer

Três pastores ao ver a estrela

Se perguntavam o que era aquilo

O Anjo de Deus foi até eles

E disse: Rapaz, fique tranquilo

Nasceu o Rei de vocês

Vão lá visitar o pupilo

Os homens pensaram em palácio

E foram até o Rei Herodes

O perguntaram pelo rei que nasceu

– Que rei? Se eu sou o lorde?

O cabra ficou enjuriado

E Chamou o sacerdote

Me diga onde vai nascer o Messias

Fale logo que eu tô aperriado

Responderam que era em Belém

O cabra ficou agoniado

Chamou os pastores pra conversa

E mentiu bem descarado

Vão até lá e achem o minino

Depois voltem pra cá

Quero que me digam direitinho

Onde o Rei pode estar

POis também quero ir

Me prostar e adorar

O pastores sairam dali

Acreditando que era verdade

O anjo de Deus os guiou

Há uma certa maternidade

Onde nasciam cavalos e bois

Dos homens daquela cidade

Belchior, Gaspar e Baltazar

Eram os nomes daqueleS senhores

Quando viram o minino ali

Sem luxo, riqueza e valores

Sentiram a presença de Deus

E choraram aqueles pastores

O chá de bebê de Jesus

Aconteceu naquele momento

Ao invés de fralda tinha ouro

De chupeta tinha incenso

Foi dado até um pote de mirra

Como forma de agradecimento

Deus disse pra eles em sonho

Pra mudarem o caminho da volta

Pois herodes estavam esperando

Armado com sua escolta

A fim de pegar o minino

E fazer uma reviralvolta

Deus disse também a José

pro egito ele fugir

Pois o rei ia matar

O bebê nascido ali

Jesus o nazareno

Descendente de Davi

Do egito eles foram

Conforme disse a profecia

Para a terra de Nazaré

Onde ele cresceria

Foi batizado por João

O filho de Zacaria.

Essa sim é a história

Que todos devemos lembrar

Que eu saiba Jesus não era gordo

E de trenó não costuma andar

E foi dele o maior presente

A salvação que vamos herdar

Antônio Novais Torres

Antônio Novais Torres é comerciante aposentado, membro fundador da Academia de Letras e Artes de Brumado, membro do Conselho da Cidadania de Brumado, ex-membro do PMDB e PTB e membro do Conselho Editorial do Jornal do Sudoeste.
Categorias

Deixe seu comentário