OS VERDADEIROS ABUTRES

Nos meus quase seis anos de vida pública, espero que Deus me ilumine para tomar a decisão certa. Devido a reflexões e diálogos diários com minha família, a conclusão é a mais esclarecedora possível… Vivemos no mundo do PRONOME PESSOAL ¨EU¨, QUE USO UMA METÁFORA DO ¨EUIZMO¨, SE EU NÃO FOR BENEFICIADO O GOVERNO NÃO PRESTA¨. E esquecemos do pronome ¨ELES¨: SE ELES TODOS FOREM BENEFICIADOS NOSSA CIDADE CRESCE E TODOS GANHAM. Isto na verdade é para esclarecer o meu pensamento político.

Há alguns dias dei uma entrevista numa rádio da cidade dizendo que os urubus são problemas de todas as cidades do país, rasgando sacolas, entupindo turbina de aviões em aeroportos etc.etc. e que nem os grandes entendidos do assunto ainda não arranjaram solução, mas a justificativa é que devido à falta de alimentos na zona rural estes animais migraram para as cidades e aterros.

Sei também que o município, com seus atuais gestores, têm feito o possível para manter a cidade limpa, e ela está limpa. Mas a pergunta obvia é: – será que a pequena parcela da população, com suas exceções, é claro, tem feito a parte dela, a não ser cobrar?

Nunca deixei de andar na cidade, principalmente em finais de semana, para observar os pontos críticos, e fico triste em saber que tem uma meia dúzia de pessoas que depositam lixo em horários e dias em que não há coleta, não respeitando, a população como um todo, principalmente os GARIS municipais que exercem a função árdua de manter a cidade limpa.

Assusta-me saber que em uma edição numa das páginas de jornal que circula na cidade, com a matéria descabida dizendo da volta dos urubus à Itapetinga, foram feitos comentários maldosos e mentirosos, quando insinua: “A VOLTA DOS URUBUS À CIDADE¨. Sabemos que gestões anteriores nunca resolveram esse problema, e a pessoa que fez este comentário saiu do casulo, fez o exame de vista no “SAÚDE EM MOVIMENTO” e passou a enxergar novamente, porque na época em que governava andava de cabeça baixa envergonhada da sua administração e não enxergava ou não queria enxergar os urubus na cidade.

Tenho que respeitar os mais velhos, principalmente aqueles doentes e que tem amnésia ou surto do esquecimento temporário (esqueceu do seu passado de governo), que deixam a ética de lado pelo fanatismo político ou favorecimento político e passam a fazer críticas, por não ter, talvez, o que fazer. Críticas estas que são bem vindas desde quando tenham nexo.

A herança deixada pela Administração anterior, por exemplo, é um fato a ser discutido em diálogo franco, em que os verdadeiros responsáveis pelo desastre se omitiram e tentam jogar para o atual prefeito a culpa. Ora, não se esqueçam das palavras do EX-MINISTRO DA INTEGRAÇÃO, ao afirmar que era MINISTRO DO BRASIL DISPOSTO A TRABALHAR POR QUALQUER MUNICÍPIO, E, DA DEPUTADA QUE É A FILHA DE ITAPETINGA, E NÃO MOVERAM UMA PALHA PARA SOLUCIONAR OS PROBLEMAS DEIXADOS POR ELES MESMOS… TALVEZ AGORA COM O ESCÂNDALO DAS VERBAS DO MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NA BAHIA O POVO SABERÁ QUEM É O VERDADEIRO RESPONSÁVEL.

O povo sim colocou os verdadeiros abutres do poder para fora da prefeitura, e eles estão à espreita, querendo matar o atual governo para se alimentarem da cidade.

Também deveria o Senhor Redator da infeliz matéria, falar sobre as quase 700 casas populares, da água de Palmares, do asfaltamento de ruas da cidade, da UPA, SAMU 192, PSF das Casas Populares, das verbas do Hospital Cristo Redentor e Raimundo Perazzo, a água de Itapetinga recuperada, novos equipamentos de odontologia no Posto José Luna, reforma de creches e escolas, projetos sociais, construção de PSF, aquisição de veículos zero km, revitalização da avenida do Distrito Industrial, inauguração do CAPS-AD, regulamentação dos mototaxistas, recuperação de mais de 200 km de estradas vicinais, revitalização do esporte com retorno da seleção ao intermunicipal, campeonatos municipais e oferecimento de outros esportes, e inúmeras outras conquistas da atual gestão, que não caberiam em tão pouco espaço.

Seria EU demagogo e hipócrita abrir a boca para dizer que tenho a solução, a mágica de fazer os urubus sumirem da cidade, mas abro o espaço democrático para solucionar o problema porque quando se faz críticas infundadas, no mínimo devem-se apresentar soluções.

Júlio César Cardoso

Júlio César Cardoso

Bacharel em Direito e servidor federal aposentado. Balneário Camboriú-Santa Catarina.
Categorias