77 3441-7081 — [email protected]

A estupidez dos mais inteligentes

As redes sociais, especialmente o Facebook, estão comprovando que não se pode acreditar que o fascismo como conceito prático da natureza humana deixou de existir, apesar das crenças contrárias por causa da estupidez do hitlerismo no século vinte.

Infelizmente nessas eleições as raízes do fascismo surgiram no Brasil, imitando outras partes do mundo, para ameaçar a democracia e a diversidade de pensamento. Quando não se apresenta projetos políticos claros para resolver os problemas sociais e econômicos, mas se esbraveja impropérios e absurdos, e convence aquela parcela da sociedade que tem como marca a superioridade bem informada, é grande o motivo de preocupação com nosso futuro.

Não podemos, e jamais devemos, conceber um novo tipo de fascismo no Brasil apenas como agressões verbais nas ruas e nas redes sociais contra militantes de esquerda, porque isso ainda pode ser resultado das paixões políticas que surgem em todas as eleições, pois a preocupação maior é com as atitudes daqueles membros da sociedade que são considerados os mais inteligentes.

Como Adorno e Horkheimer disseram, são os mais inteligentes que são literalmente os mais estúpidos, porque são eles que facilitam as coisas para os bárbaros. E é exatamente isso que está acontecendo no Brasil de hoje contra as forças políticas, que obedecendo as regras da democracia, governaram nos últimos anos, e que retirados à força política de bastidores dos corredores de Brasília, o povo quer de volta por direito e com o voto.

 A parcela da sociedade mais informada, que deveria exatamente ser mais “inteligente”, ser mais sensata e respeitar a democracia, quer assumir o ônus político de uma coisa que ela mesma não sabe do que se trata, porque não existe um projeto político claro desse novo fascismo. O grito, a destemperança, a agressão verbal, a invasão nas redes sociais daqueles que são contrários, não significam propostas claras de como governar o Brasil, significam a estupidez no sentido mais literal da palavra.

Como diziam os mesmo autores citados aqui, não é nada fácil falar com um fascista, porque mesmo ele sendo inteligente, não apresenta argumentos sólidos, não escreve além de quatros linhas, interrompem com insolência e é totalmente inacessível à razão, porque só à enxerga na capitulação do outro.

Para muitos é bom pensar melhor antes de agredir sem apresentar nada de consistente, além de atingir minorias ou idéias diversas, ou achar que as armas resolverão tudo. É bom lembrar que aqueles que tomaram o poder na Alemanha dos anos trinta com as mesmas idéias eram mais inteligentes que os liberais e os comunistas, porém foram exatamente os mais estúpidos. A história é a prova dos nove!

 

Fonte: genaldo40.blogspot.com

Genaldo de Melo

Genaldo de Melo

Genaldo de Melo, 43 anos, sergipano radicado em Feira de Santana - Bahia. Gestor social e articulista. Desenvolve consultoria em elaboração de projetos sociais
Categorias