Governo divulga datas dos créditos para aposentados e pensionistas, em 2023

Valores pagos a partir de 25 de janeiro terão reajuste do valor do salário-mínimo

 

Por: Nathália Ramos Guimarães/Brasil61

Aposentados e pensionistas de todo o país, segurados pelo Instituto Nacional do Seguro Social, o INSS, já podem fazer planos com o dinheiro que irão receber no começo de 2023.    A autarquia anunciou, nesta quinta-feira (8), o calendário dos pagamentos para os beneficiados. Serão mais de 37 milhões de favorecidos com essa medida do governo, que inclui ainda quem recebe o auxílio doença, por exemplo.

É preciso atenção aos dias dos créditos dos benefícios. Como aconteceu com o cronograma de pagamentos deste ano, o calendário de 2023 será dividido em dois grupos. Aqueles que recebem um salário-mínimo, os depósitos referentes a janeiro serão feitos entre os dias 25 do primeiro mês do ano de 2023 e 7 de fevereiro.

Segurados com renda mensal acima do piso nacional terão seus pagamentos creditados a partir de 1º de fevereiro. Há  prioridade para para recebimento  para  quem ganha um salário mínimo. Os valores serão pagos com o reajuste do salário mínimo, atualmente fixado em R$ 1.212,00.

Para saber quando o pagamento será depositado, basta ver o número final do cartão de benefício, sem considerar o último dígito verificador, que aparece depois do traço. Para aqueles que recebem seu benefício há um certo tempo, vale a data habitual.

Advogado especialista em direito previdenciário, Diógenes Moreira Campos esclarece que a antecipação do calendário de pagamento dos beneficiários do INSS para 2023 é uma tática de praxe do órgão que tem caráter logístico tanto do ponto de vista das pessoas, quanto financeiro. O especialista frisa que vão ser contempladas  pessoas que têm direito aos benefícios geridos pelo governo na área previdenciária.

“Inclui, aposentados por idade, por tempo de contribuição, aposentados por invalidez, aquelas pessoas que recebem o auxílio doença, os pensionistas, enfim, todos os beneficiários do INSS”, elenca o advogado.

“Outro dado interessante desse calendário ser divulgado de forma antecipada: primeiro para que as pessoas se programem, segundo e mais importante, na minha opinião, é para evitar filas, acúmulo de gente nos bancos num determinado dia. Por isso que este escalonamento é feito em datas diferentes, e também para ajudar na folha de pagamento, afinal são milhares de aposentados”, explica.

Aos 64 anos, Geralda Maria da Silva é uma das milhares de brasileiras contempladas com o benefício do governo federal pago pelo INSS. Depois de receber o auxílio doença por quase uma década, concedido pela Justiça Federal em períodos diferentes nestes dez anos, finalmente agora, há sete meses, a idosa pode usufruir da segurança de uma aposentadoria vitalícia.

“Fiquei muito satisfeita por ter conseguido me aposentar depois de ter ficado um tempo recebendo o auxílio doença. Quando eu completei 64 anos, graças a Deus eu fui aposentada”, festeja. “Depois que me aposentei me senti muito segura porque é um dinheiro que me ajuda bastante e é um dinheiro que posso contar todo mês”.

O diretor do Instituto de Finanças Funcionais para o Desenvolvimento, David Deccache, destaca que o pagamento desses mais de 37 milhões de beneficiários chega num momento decisivo para a economia brasileira, prevendo um mercado fortalecido no começo do ano.

“Já trarão o reajuste do valor do salário mínimo que ainda não foi definido, porém a equipe de transição do presidente Lula já disse que pretende reajustar o valor do salário mínimo entre 1.3 % e 1.4% acima da inflação”, comenta. “Portanto, garantindo, em termos reais, o aumento do poder de compra desses beneficiários, o que é ótimo para a economia que ficará mais aquecida, tendendo a gerar mais emprego e renda em diversos setores”.

O calendário, como de costume, não cita os meses de pagamento da antecipação do 13º salário. Neste caso, a data de liberação das parcelas do abono natalino é decidida pela União ao longo do ano. Durante a pandemia, por exemplo, aconteceu ainda no primeiro semestre.

Pagamento por barcos

Há mais de 20 anos em atividade, o projeto PREVBarco funciona como uma alternativa flutuante e inclusiva às populações ribeirinhas do país ou mesmo aos cidadãos sem nenhuma familiaridade com o mundo digital ou destituída de serviços básicos como energia elétrica e internet. Também atende centenas, milhares de indígenas familiarizados ou não,que têm dificuldades de entender a nossa língua.

Na prática, são embarcações marítimas que, navegando por regatos, ribeirões e rios das regiões mais remotas do país, levam cidadania e dignidade às pessoas afastadas dos grandes centros urbanos. Enfim, locais distantes de uma agência do INSS ou mesmo de uma parceria técnica cooperativa.

A expectativa é de que o projeto PREVBarco atenda cerca de 22 mil pessoas em todo o país. Só na região amazônica, mais de 600 mil ribeirinhos já foram atendidos graças a esta iniciativa.

Foto da Capa: Fernando Frazão/Agência Brasil/Arquivo
Fonte: Brasil 61 

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,