Imunidade, a salvação contra a pandemia!

Inacreditavelmente o mundo não é mais o mesmo de apenas sessenta dias atrás! A volta foi de tal ordem significativa  que cento e oitenta graus, foram o suficiente para deixar tudo  do que passou, definitivamente, para trás. O que antes era inaceitável hoje é, absolutamente, normal e vital, como no caso, o uso de máscaras de proteção facial!

Curiosamente, vejo a televisão despejando diariamente informações estatísticas do número de pessoas infectadas, vitimadas pelas ações descontroladas, insanas e irreversíveis, desse agente assassino, no seio da sociedade como um todo, de um vírus que saiu de um laboratório, não se sabe por que porta!

Os meios de comunicação, que têm acesso a todos os tipos de profissionais, poderiam usar o seu precioso tempo para informar as pessoas de como se defender dessa praga mortífera, rapidamente, sem precisar de remédios caros, raros e, em especial, que não servem para todas as pessoas, considerando as condições físicas de cada paciente! Como sabemos um medicamento não serve de qualquer modo para todos os doentes, razão pela qual há dosagens diferenciadas na sua prescrição!

Hoje, já sabemos, que uma pessoa com alta imunidade física é suficiente para impedir que  o micróbio,  resolva invadir e estacionar no corpo de um hospedeiro. Não há espaço para ele! Com imunidade média, o vírus entra, se faz convidado e faz a sua festa no corpo do escolhido e se for uma pessoa com baixa imunidade ele termina com a vida do escolhido, em poucos dias.

Ganharíamos muito mais, se a população fosse exaustiva e devidamente informada de como elevar os seus níveis de imunidade urgentemente, com produtos naturais, com  alimentos disponíveis no nosso meio abundante como é o caso do consumo de brócolis, limão, laranjas, gengibre, alho dentre muitos outros alimentos que nos são comuns, diariamente!

Os meios de comunicação nada falam a esse respeito, mostrando apenas, estatísticas horrorosamente verdadeiras que poderiam não existir caso procedimentos básicos, elementares fossem disponibilizados e estivessem sendo comunicados à população. Mas a televisão não quer a saúde, ela é macabra, sinistra e destrutiva! Sua motivação é trágica, fúnebre, vampiresca. A falta de leitos nos hospitais lhe dá alegria, a de respiradores lhe enche de prazer.

Se esses procedimentos saudáveis fossem disseminados à população, o vírus teria perdido essa guerra!

Cícero Carlos Maia

Cícero Carlos Maia

Categorias